[OFICIAL] Baile de Máscaras

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Charlotte M. C. Reinhardt em Sab Maio 02, 2015 12:55 am

Baile de Máscaras
O assunto do momento em toda Capital era o baile que seria dada pelos gêmeos Beowulf, conhecidos por ostentar festividades extravagantes e luxuosas. Todos haviam recebidos seus convites, da qual a única obrigação seria que todos usassem máscaras. A mansão jazia em seu perfeito estado habitual, contudo, encontrava-se divida em diferentes temáticas com estruturas e decoração pomposas. A entrada era enfeitada de flores, lustres e um tapete vermelho que estendia-se para que seus convidados fossem bem recebidos por seus anfitriões e demasiados funcionários espalhados pelo terreno a procura de atender todos que precisassem ou não de vossa atenção. A música alternava-se de acordo com o clima da festa, tornando-se mais agitada a ponto dos convidados que chegavam, com uma banda à espera para abrir a noite. O buffet não poderia ser mais refinado, distribuído para os diversos gostos daqueles que receberiam. Nos jardins encontrava-se uma pista de dança, com luzes hipnotizantes e estranhamente agradáveis. Banshee e Floyd esperavam no salão principal, ambos bem vestidos com seu semblante perfeito. Máscaras tomavam suas faces, contudo, eram reconhecidos por seus olhos claros e os cabelos escuros.  O homem foi o primeiro a tomar voz.

‘‘Estávamos ansiosos para que pudessem desfrutar de mais uma festividade dos Beowulf, sejam bem vindos a nossa residência e aproveitem a festa. Lembrem-se, Panem sempre agraciará aqueles que lhe servirem com lealdade e obediência.’’ Terminou o discurso ao piscar para a plateia e dispersar-se pela multidão mascarada na companhia de sua irmã, agraciando a todos com vossa presença.

Informações importantes:

Código:


O Baile de Máscaras é um evento que fará parte da trama do fórum e a colaboração dos membros terá tamanha importância sobre ele;

Ao fim do evento terá prêmios para aqueles que postaram, e isso dependerá do número de postagens de cada um;

As postagens não terá prazo definido, e logo mais será postada a PARTE DOIS e será OBRIGATÓRIO que todos aqueles que participarem postem para ganhar seus devidos prêmios;
Créditos à JVBR


Última edição por Floyd Roux Beowulf em Dom Maio 17, 2015 3:26 am, editado 1 vez(es)
avatar
Charlotte M. C. Reinhardt

Mensagens : 196
Data de inscrição : 09/04/2015
Idade : 24
Localização : This Is Capitol, Sweetheart.

Ficha Tributo
Emprego: Idealizadora
Tésseras: ∞
Pontos de Patrocínio: ∞

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Caitlyn A. Knox em Sab Maio 02, 2015 2:08 am


I'll bringing sexyback, yeah 

A jovem  mulher estava em seu quarto, dormindo tranquilamente, quando começara a ouvir Tecquila gritar e sacudir lá, com força. Evelyn estava com sono. Tinha feito um show ontem a noite e queria dormir, não queria levantar de modo algum. Bocejou umas duas vezes, até finalmente acordar. — Droga, eu estou encolhendo... — Eve se via menor do que a realidade, um dos efeitos de sua síndrome. A síndrome de Alice no país das Maravilhas. Ela se sentia uma mistura de Alice com a Rainha de Copas. Ela coçou seus olhos, e sacudiu a cabeça, vendo se normal. Olhou para si mesma no espelho que estava próxima de sua cama. Eu estou enorme de gorda... Bufou, procurando algumas coisas em seu guarda roupa. Colocou um shorts, uma camisa e se sentou no sofá, começando a ver alguma coisa que passava na TV. Ouviu novamente a voz de Tecquila. — Eve, eu vou trabalhar, não esquece dos remédios! — A amiga saía. Eve revirou os olhos gritando. — Não vou esquecer, mamãe! — Se ajeitou no sofá, depois de pegar seus remédios e pegar suco de maracujá. Colocou os remédios na boca, os engolindo e tomou seu suco de maracujá.

Evelyn deu de ombros, depois de algumas horas vendo algo que lhe interessava na TV, até parar em um canal de musica que mostrava seu novo vídeo clipe. Eve tinha em seu corpo um vestido preto, era justo e em estilo sereia, abrindo em uma pequena cauda, enquanto cantava uma música extremamente sexy, mas com um começo romântico. The way that I love you, I can't tell you, but I can make you shine like a diamond Eve cantarolava sua própria música enquanto o clipe seguia. Quando o vídeo clipe acabou, Eve deu de ombros, desligando a TV, indo comer algo. Enquanto comia, ouvia alguém bater em sua porta. Abriu a porta, vendo o carteiro lhe entregar um convite. Era preto com pequenos detalhes prateados. Flores prateadas, uma flor de lis, bem feita. Evelyn sorriu, abrindo o convite. "Srtas. Reinhardt e Wettminster, vocês estão convidadas para o baile de máscaras que ocorrerá em nossa casa, abaixo está o horário e o endereço. [ENDEREÇO E HORÁRIO]. Atenciosamente, Floyd e Banshee Beowulf" A morena abriu um sorriso maroto, dando um alto grito de alegria. Beowulf... Eu já ouvi esse nome antes... Coçou a cabeça pensando um pouco. AH MAIS QUE PORCARIA! SÃO DOIS IDEALIZADORES! EU ME METO EM CADA UMA! Ela suspirou fundo, contando mentalmente até dez. Relaxou um pouco, esperando Tecquila chegar, vendo mais TV.

Em algumas horas, Tecquila tinha chegado. Eve já começara. — Vamos, temos uma festa para ir daqui... Umas duas horas, ande, vai se arrumar. E use uma máscara! — A jovem a olhou confusa, mas não discutiu. Festa? Elas amavam uma boa festa. Evelyn foi para seu quarto, procurar algum vestido que prestasse e gostasse. Achou um vermelho, estilo sereia com um corte diferenciado na cauda. Agradou lhe, com um sorriso. Pegou um salto alto também avermelhado, gargantilha, um brinco, bolsa e sua maquiagem. Tirou a roupa que vestia, no banheiro e tomou seu banho. Quando acabou seu banho, colocou o vestido, as joias, fez uma maquiagem básica, colocou uma máscara qualquer e pegou a bolsa, colocando a chave da casa. Pegou seus remédios, os tomando novamente. Saiu para a sala, esperando a colega. Em poucos minutos, Tecquila saia, e Evelyn seguia com a amiga para fora da casa.

Em alguns minutos, de carro, ambas chegaram no endereço do convite. Evelyn saiu do carro primeiro, dando a chave do carro para o manobrista, após Tecquila sair do carro. — Arranhe meu carro e te processo. — Eve se afastou, com Tecquila, entrando na festa. O movimento era muito, a jovem pegou uma cereja que passava com um drinque, tomando o drink, pegando a cereja encarando todo o movimento, não ligando, então ouviu uma voz. Ouviu todo o discurso do homem e sorriu, encarando Tecquila. — Acho que ele gostou de você... — Deu de ombros e continuou andando pela a festa.


tags: welcome to my kingdom wearing: this; notes: i can't be an angel today... a máscara tá no gif cidadão q outro ponto aí marotinho q tio floyd não deu descrição do convite então criei a minha mesmo -v-
avatar
Caitlyn A. Knox
Capital
Capital

Mensagens : 35
Data de inscrição : 27/04/2015

Ficha Tributo
Emprego: Cantora
Tésseras: 100
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Louise McClane em Dom Maio 03, 2015 5:34 pm

O relógio marcava onze horas da manhã quando acordei. Espreguicei-me e levantei lentamente. Os raios solares invadiam meu quarto criando uma região de penumbra. Me dirigi ao banheiro e tomei um banho longo e relaxante. Devidamente vestida passei pela cozinha e peguei uma fruta qualquer para assistir a uma entrevista que havia dado semana passada. Sem nenhuma humildade, estou deslumbrante na tela da minha televisão. Olhei para minha mesinha de centro e reparei no montinho de cartas sobre ela. Havia no meio das cartas um convite. Seria realizado um baile de máscaras na mansão Beowulf. ESPERA! EU LI CERTO?BEOWULF? Festas promovidas por idealizadores são extremamente luxuosas! O que significa que eu não posso perder esse evento de jeito nenhum! Leio novamente o convite e vejo que está escrito no rodapé: todos devem usar uma máscara. Corro em direção ao meu closet e vasculho as gavetas em busca da máscara perfeita. Então me lembro de escolher um vestido... Essa é uma missão difícil, mas por fim, escolho um dos vestidos mais caros que possuo e até então não havia usado. Com tudo já organizado, resolvo almoçar.  Meu prato está meticulosamente arrumado, dá até pena de mexer mas minha fome é muito grande pra me preocupar com isso. Resolvo ter um sono de beleza antes da festa, me deito no sofá e a última coisa que vejo antes de fechar os olhos é um anúncio na tv sobre os jogos vorazes. Abro os olhos, a tv ainda está ligada e o relógio diz que faltam três horas para a festa... AI MEU DEUS! TRÊS HORAS? “Como eu pude dormir tanto?” penso. Me levanto rapidamente e entro no banho. Começo a preparar minha pele para começar minha maquiagem. Arrumo meu cabelo e quando reparo, tenho apenas uma hora e meia para a festa e começo a colar unhas postiças. Quando as unhas secam, coloco meu vestido e termino o cabelo e maquiagem. Já estou atrasada.  Antes de sair, coloco minha máscara.
Chego à mansão Beowulf, o jardim está decorado e várias pessoas arriscam passos de dança no meio da pista. Reparo nos rostos conhecidos, algumas pessoas param de conversar para me olhar. Apenas sorrio e continuo fazendo meu caminho entre as pessoas. Avisto os gêmeos Beowulf, vou até eles e os parabenizo brevemente pela incrível decoração.  Um garçom me oferece uma taça de uma bebida qualquer e eu aceito sem pensar duas vezes. Converso com vários conhecidos, algumas amigas atrizes. A voz de um homem soa nos alto-falantes. Seu discurso é rápido e direto e logo é trocado por uma batida suave, porém viciante. Em um canto, estão posicionados sofás e pufes. Sem animação para dançar, vou até um dos sofás. Alguns diretores estão na festa e vem conversar comigo, mas eles não se demoram e partem para atacar a mesa farta do buffet. Fico ali no canto, observando e sendo observada por olhares curiosos.



Louise McClane
avatar
Louise McClane
Capital
Capital

Mensagens : 3
Data de inscrição : 25/04/2015
Idade : 18
Localização : In Capitol, babe!

Ficha Tributo
Emprego: Atriz
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Alex Van R. Rockefeller em Seg Maio 04, 2015 1:44 am



Party

I'm the one that should be hated. The most powerful among all. The son of the president. Even if will hating me or loving me, I will pile bodies a tsunami!
Ok, ser o filho do presidente tem seus luxos, mas é deveras cansativo ter que agradar aquela múmia velha. Tá passando do ponto... Mas, mesmo me enchendo o saco, o amo; é meu pai, me criou e deu-me tudo e fico satisfeito em tê-lo comigo. Ele sempre foi muito atencioso, me mimou, me ajudou, me desenvolveu. Me tornou o homem "correto" que sou hoje, me tornou poderoso por meus próprios frutos, me fez ser lembrado por mim e não por ele. Talvez, só talvez, se ele morresse eu realmente iria junto. Ele é meu herói, mesmo sendo para outros um monstro, nunca viram-no, nunca tiveram-no como pai e posso garantir que é o melhor na "função".

Um sorriso carismático ascendeu minha face hoje, era dia de festa, mas não lembrava o autor do convite. Chamei um Avox que rapidamente atendeu ao meu chamado, claro, depois de ter a língua cortada não ousaria desobedecer. Estiquei-me na cadeira e observei atentamente a face da "escrava" parada à minha frente, olhando para baixo, nunca contemplara minha face. Meu cabelo estava despenteado e espetado, o escritório era meu afinal, portava-me como queria. Sou um dos Idealizadores dos Jogos, sirvo diretamente ao Presidente! Ninguém manda em mim, sorrio com o pensamento centrista. Um terno estava em meu corpo, terno normal, preto, fazendo um jogo monocromático que era quebrado pela gravata vermelha vibrante. Combinava com meus olhos e meu cabelo loiro.

- Pegue o convite que está no arquivador. Ele é vermelho. - Pausei e lhe observei saindo. - Espere! Acho que é roxo... - Pensei um pouco e concluí que não era nenhum dos dois. - Pegue o convite, vai notar meu nome na frente; é o único lá mesmo. Têm sessenta segundos. - E assim a avox saiu correndo em busca do meu pedido, passaram-se quarenta segundos e a mulher retornava com um envelope branco em mãos. Abri-o e abanei a mão, dispensando a serva; assim que ela saiu, abri o convite.

- Argh! Tinha que ser do chato do Floyd! Aquele mané acha que manda em alguém... Invadir o quarto do meu pai e ativar a bomba da casa dele! - Um som feito "tsc", saíra da minha boca. Eu não gostava dele pelo simples motivo dele gostar de se ocupar com trabalho demais e assim ficar se exibindo o tempo todo. Vamos ser sinceros, o cara era um pé no saco. Levantei-me da cadeira, espreguicei-me e coloquei o sobretudo negro que estava pendurado na cadeira de couro nobre. Reparei na sala. Era espaçosa, gigante na verdade. Uma mesa de mogno coberta de papeis e um visor touch screen, última tecnologia, me livrava de PCs e papéis, mesmo que eu gostasse de arquivar tudo com o mesmo, achava mais profissional e seguro, em partes. Se o sistema fosse invadido e a exclusão de arquivos imediata fosse iniciada, não perderia tudo, somente meus pornôs. Gargalhei com o pensamento, preciso contratar uma prostituta pra noite... E uma máscara.



Roupa comprada, máscara no rosto. Eu estava bonito, um terno normal para a ocasião, exceto pelo sobretudo mais logo que chegava aos meus pés, como uma capa. A máscara era prata - literalmente feita de preta -, toda detalhada. Decidi não contratar nenhuma prostituta, meu pai havia levado todas da cidade... Cara de sorte! Deve ser bom ser o presidente... Enfim, ordenei ao chofer que me esperasse em frente à mansão presidencial. A maior de todo o país, meu pai realmente era ostentador e eu adorava todo esse luxo, como qualquer morador da Capital.

A limusine era gigantesca, muita bebida, muito doce e muita comida. Já disse muita bebida? Então, muita. Era impossível ver o chofer, que me deixou de frente à mansão Beowulf, era bonita, não tanto quanto a minha, mas era. Não tinha nenhuma pessoa em especial, assim que entrei, Floyd havia terminado de falar. Simplesmente invadi o lugar e caminhei pomposo e onipotente até o patriarca, sorri; por mais que o odiasse, éramos amigos e tínhamos um bom comportamento um com o outro.

- De novo, Floyd? Tsc... Toda semana tem festa, as prostitutas ficam cansadas! - Gargalhei, eu realmente não tinha trava nas línguas. Esperei uma reação, enquanto pegava o champanhe de uma bandeja servida pelos garçons e bebericava do líquido, que descia queimando a garganta, sorri, sentindo o efeito avassalador da bebida.

Spoiler:
I Hate Freaks, I Hate All
avatar
Alex Van R. Rockefeller

Mensagens : 14
Data de inscrição : 21/04/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Ann-Ronwe Teufelsjäger em Seg Maio 04, 2015 3:15 am


They call me crazy  and lunatic with words and looks
but they burn people and laugh at their misfortune
Talvez de todo o clichê que a Capital exalava o único que adequava-se à mim era o gosto por festas. As festas da Capital sempre eram um assunto importante, fossem elas perfeitas ou um fracasso total. Um luxo para muitos, um exagero para mim, um exagero divertido, porém. Aquela festa, ou baile, certamente não fugiria dos altos padrões da Capital e com tantas ilustres presença tampouco fugiria d’A Louca.

Não era sempre que eu decidia aparecer em eventos do tipo, afinal, as pessoas ao meu redor apesar de me reconhecerem e respeitarem (na minha frente, ao menos), ainda dirigiam olhares estranhos e tortos à mim. Aos olhos dos demais eu não passava de uma garota louca e esquisita que tinha dinheiro o bastante para não estar trancafiada, e talento o suficiente para não ser uma ninguém. Em suma, todos me suportavam de suas próprias formas. É fácil suportar alguém quando se presume que este nada entende de fato.

O povo da Capital era muito rápido em seus julgamentos, para seu infortúnio.

— Pode deixar aí, obrigada, Acalanta. — Agradeci à avox que com um sorriso deixou minhas vestes em cima de uma poltrona.

Eu, obviamente, já estava atrasada para o baile, mas importava-me com isso tanto quanto importava-me com o nome dos atores de filmes ou idealizadores dos Jogos. Vesti-me, por fim, e passei uma maquiagem clara no rosto com um batom vinho nos lábios, a máscara de negra de gato já estava sobre meus olhos os cobrindo completamente. Quando não se fita os olhos de um louco fica mais difícil de distinguir se a loucura realmente existe. A minha não existia, mas não queria que eles soubessem de tal coisa, por enquanto a minha vantagem estava na alcunha de A Louca que todos destinavam à mim.

Acendi um cigarro antes de deixar a mansão e subir na moto, o tragando lentamente até por fim terminar. Eu deveria parar de fumar...  

Não demorou muito e eu já estava à frente da mansão dos... dos... Bolofos? Boufus? Beoufus? Arhg, por quê diabos todos os nomes da Capital – incluindo o meu próprio – eram tão complicados? Desci da motocicleta jogando o capacete, que possuía orelhas felinas em cima, e as chaves para um vallet. Peguei um pirulito de dentro do bolso de meu casaco e o coloquei na boca antes de adentrar o local, mostrando o convite enfeitado para os seguranças, próximo o bastante para que o papel tocasse seus narizes.

Como disse antes, as festas da Capital eram sempre muito luxuosas – e extremamente extravagantes. Abri o meu melhor sorriso com o palito do pirulito entre os dentes enquanto acenava animada para qualquer pessoa em meu caminho, conhecendo-me ou não. A Louca havia chegado.






annika-ronwe teufelsjäger

— if i'm an accessory you're just a napkin, mate —
avatar
Ann-Ronwe Teufelsjäger

Mensagens : 18
Data de inscrição : 02/05/2015
Idade : 24
Localização : In Wonderfuckingland

Ficha Tributo
Emprego: Estilista
Tésseras: 450
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Nikola Stäinner Azevich em Seg Maio 04, 2015 7:07 pm

party girls don't get hurt
- Não estou com vontade de ir. Estive em, pelo menos, três festas só nessa semana. Preciso colocar os pés em água morna. - Acqua riu. Balançou a cabeça em negação e se sentou ao meu lado na cama.

- É a festa dos gêmeos. Você sabe que precisa ir. Esse evento vai colocar quem for no topo da lista exclusiva da Capital. Não dá para fazer apenas um esforcinho? - Os olhos azuis se estreitaram e seus lábios rosados juntaram-se em um biquinho irresistível. - Por favor, por mim. - Passei a mão no cabelo, sinal de que estava claramente tentada a ceder.

- Bom... Pedindo com esse jeitinho, acho que meus pés aguentam mais uma noite de badalação. - A garota ruiva se levantou e se dirigiu até meu armário de trabalho, onde os vestidos dos estilistas repousavam, aguardando sua vez de brilharem em meu corpo.

- Recuso-me a acreditar que você irá à festa só porque eu pedi. Quer dizer, você é uma Stäinner, está destinada a isso. - Enquanto falava, ela alisava o tecido de cada um dos trajes, como se tentasse ter uma ajudinha para saber qual seria o melhor para a ocasião. Dei de ombros e agarrei o travesseiro, tentando criar coragem para largar aquele conforto. Tudo bem, para você entender, eu era uma festeira de carteirinha. Mas não era de ferro, precisava de descanso. Suspirando, ergui-me e comecei a tirar o pijama de seda, ficando nua enquanto me dirigia ao banheiro, precisava de um bom banho para recuperar as energias.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

O carro parou bem na frente da mansão, onde um tapete vermelho aguardava os convidados. Aguardei que o motorista abrisse a porta e me ajudasse a sair, uma vez que a saia do vestido engatava um pouco em meus saltos. O escolhido para a noite era azul escuro, com a parte de cima transparente e coberta de miçangas, enquanto a saia era fluida e feminina. Eu precisava causar, correto? Errado. Dentre todas as minhas aparições, aquele era, provavelmente, o traje mais sóbrio que eu já usara. No rosto, uma belíssima máscara digna de uma rainha em tons de dourado. Não demorou para que a chuva de flashes começasse. Minha importância naquele evento era grandiosa.

Ao entrar, apanhei uma taça de qualquer coisa que estava na bandeja de um dos serviçais, contentando-me em beber o conteúdo aos poucos. Sorri para alguns estilistas, olhei feio para outras modelos. Tudo nos conformes. Não demorou muito para que Floyd, que era um gato, por sinal, começasse sua pequena explanação acerca do acontecimento. Estava na hora de começar aquela festa, não? A irmã permanecia calada, como se fosse uma espécie de apoio ao rapaz. Então, ambos se misturaram à multidão, como perfeitos anfitriões prontos para receber seus convidados. Nikola não ficaria ali, oh não. Eu iria para a pista de dança, precisava me soltar.
robb stark
avatar
Nikola Stäinner Azevich
Capital
Capital

Mensagens : 4
Data de inscrição : 26/04/2015
Idade : 22

Ficha Tributo
Emprego: Modelo
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Charlotte M. C. Reinhardt em Seg Maio 04, 2015 11:35 pm


❝ Shoot to thrill, play to kill. ❞

Como esperado, todos aqueles que convidemos encontravam-se presentes. Perguntava-me como o pobre Arthur conseguia paciência para aturar tamanhos bajuladores. Os jogos encontravam-se próximos e os inúmeros pedidos de patrocínios só aumentava perante os mentores. Banshee, com o temperamento forte que tem, conseguia manter um sorriso encantador ao cumprimentar inúmeros bajuladores e admiradores de sua beleza. Como o dinheiro conseguia esconder quaisquer resquícios de sadismos que tínhamos, não é mesmo? Controlava-me em me manter sóbrio o máximo que podia — não que fosse um vício — mas já conseguia ouvir as reclamações do presidente quando os gêmeos Beowulf saíssem na capa pelo escândalo causado pela festividade. Para mim não haveria problema algum, contudo, com a aproximação dos jogos qualquer que seja o escândalo seria abafado e bem, sou daqueles que precisa de atenção apenas para si mesmo.

Pega leve irmã, nem passou da meia noite. — adverti Banshee, que revirou os olhos com a minha declaração. Ser quatorze minutos mais velho não me garantia qualquer poder sobre ela, era um fato que jamais me acostumaria. Ajeitei minha mascara e apossei-me de um dos drinques que serviam os funcionários, que particularmente nessa noite, eram muitos. Digamos que o capricho foi ainda maior, perante da surpresinha que ocorreria mais tarde. Os sádicos e festeiros gêmeos são os anfitriões das melhores festas de toda a Capital, conseguia ouvi-los comentar enquanto se deliciavam de nossa refinada e forte bebida enquanto seus corpos balançavam em companhia da música. — Com licença, senhores. — esquivei-me de mais atenção e bajulação que inflava meu ego ilimitadamente.

Francamente, quando o primogênito de Arthur cansaria de frequentar tamanhos eventos? Assim como nós, encontrava-se cercado de escândalos e pessoas que beijavam seus pés onde passava — agora lhe pergunto, há coisa melhor do que isso? Bem, ver vinte e quatro jovens lutando para sobreviver em nossa arena chegava a isso. — Prostitutas? Chegou a hora das senhoritas que pertencem a Capital provarem nossas... Qualidades. — respondei a Alex, sem esconder as segundas intenções e a malicia evidente em meu tom de voz. As mulheres eram em demasia, elegantes e com seus decotes que exaltavam suas curvas e tudo aquilo que tinham para oferecer. Quem seriam mais cobiçados do que os jovens idealizadores? — Deveríamos ser educados e cumprimentar cada uma delas, o que acha? — mordi o lábio inferior ao admirar uma donzela de vestido vermelho e provocante. Eu morri e fui ao paraíso?
avatar
Charlotte M. C. Reinhardt

Mensagens : 196
Data de inscrição : 09/04/2015
Idade : 24
Localização : This Is Capitol, Sweetheart.

Ficha Tributo
Emprego: Idealizadora
Tésseras: ∞
Pontos de Patrocínio: ∞

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Caitlyn A. Knox em Ter Maio 05, 2015 1:23 am


I'll bringing sexyback, yeah 

Evelyn andava de um lado para o outro da festa, com uma taça de champanhe na mão, observando todo o movimento que lá ocorria. Tinha a sensação de que alguma coisa, seja ela boa ou ruim, iria acontecer aquela noite, aquela festa seria um 'up' em sua carreira, sem sombra nenhuma de dúvidas. Ao mesmo tempo que Evelyn esperava que a festa tivesse um ponto positivo em sua carreira, ela esperava se divertir. Observava atentamente todos os cidadãos da Capital que entravam na festa, observando também os vestidos. Ela tomava um gole de champanhe a cada olhar que lhe era dirigido, o que não era muitos, mas mesmo assim, Evelyn ria baixo. Ninguém a reconhecia com a máscara, aquilo era ótimo! Ela poderia conversar com quem quisesse e nunca saberiam que era ela. A jovem deixou a taça de champanhe na mão de um avox e continuou a perambular pela a festa, sempre de olho em Tecquila. Viu na festa, a famosa modelo, Nikolina Azevich, uma estilista, Ann-Rowne Teufelsjäger e o filho do presidente de Panem. Essa festa está começando a ficar interessante... A mulher sorriu.

Evelyn estava parada em um canto qualquer da festa, conversando com Tecquila, sobre coisas banais da festa, enquanto ajeitava sua máscara. Ela deu de ombros, quando fora questionada sobre seus medicamentos, dizendo um sim. Pegou uma taça de vinho do porto de um dos avox que passavam no meio da festa, tomando um longo gole da bebida, girando levemente o copo. Estava mais pensativa que o normal. Seu novo CD estava em produção, ela pensava em várias letras para as músicas enquanto estava naquela festa. Ela sorriu. Essa festa realmente está valendo a pena... Ótimo! Sorriu para si mesma, ouvindo as conversas alheias, enquanto fechava seus olhos. Ouvira duas frases que a irritara um pouco. Uma daquele que supunha, pela a voz que não lhe era tão incomum, do filho do presidente e a voz do anfitrião da festa ressoara em seus ouvidos. Isso a fez rir de leve. Tomou outro pequeno gole do vinho que segurava, estendendo a taça de champanhe na direção de um dos olhares, que Evelyn notara que era dirigido a ela. Sorriu irônica para Tecquila. — Já lhe disse que amo as festas dadas na Capital, principalmente por idealizadores? — Riu baixo, afastando se de leve e com passos calmos de Tecquila.

Os baques do par de salto alto prateado de Evelyn batiam no chão com leveza, sem muito barulho. Os passos eram sutis, seu rumo determinado, era estranho como seus passos conseguiam ser silenciosos, apesar do rumo decidido. Ela tinha bons reflexos, isso conseguia lhe dar passos leves. Caminhou tranquilamente, até chegar em seu objetivo. O idealizador que lhe observara e ainda a observava, pelo o visto. Não que isso a irritasse, era até mesmo divertido. Sorriu simpática. — Querido, você está querendo alguma coisa de mim, huh? O que exatamente? Me diga, enquanto caminhamos, que eu poderei considerar seu... Pedido. É justo para você? — Evelyn estendia a mão para o homem a sua frente. Aquilo estava realmente interessante. Ela gostaria de saber, até onde aquele idealizador, estava 'capaz' de ir. Aquela noite, realmente estava interessante. Evelyn se divertiria. E ela iria aproveitar e sem dúvida, ter várias coisas sobre o que escrever para ao menos uns 2 CD's e um CD acústico.

tags: welcome to my kingdom wearing: this, the shoes; notes: i can't be an angel today... a máscara tá no gif cidadão q outro ponto aí marotinho q tio floyd não deu descrição do convite então criei a minha mesmo -v-
avatar
Caitlyn A. Knox
Capital
Capital

Mensagens : 35
Data de inscrição : 27/04/2015

Ficha Tributo
Emprego: Cantora
Tésseras: 100
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Cassadee Pope em Ter Maio 05, 2015 6:18 am


MASQUERADE
A enfermeira lentamente retira as ataduras do rosto da paciente e então a avox se apressa com um espelho, posicionando o objeto em frente à recém-operada. – Então, senhorita Pope... Espero que o resultado lhe seja satisfatório! – diz o cirurgião, ansioso pela resposta da ilustre cliente. Alguns segundos se passam enquanto o silêncio reina no ambiente, e é então que, do nada, a mulher que até então parecia drogue pela anestesia irrompe aos berros em um surto de ira. – Maldita! Maldita! – diz ela, trazendo espanto a todos e fazendo a pobre avox tremer nas bases, confusa se deve se retirar ou continuar a segurar o espelho. – Maldita seja, Cassandra Pope! Maldita seja! – a mulher continua a berrar e espernear e o médico tenta então segurá-la – Não fique aí parada, sua inútil! Faça alguma coisa! – ele grita para a enfermeira. Esta, também assustada, começa a rodar em círculos enquanto procura por algo. A paciente se livra do médico e salta da cama, partindo para cima da avox e tomando o espelho das mãos da criada – Sua miserável! Era isso o que você queria? Maldita! – diz ela, fazendo a serviçal se engasgar com o seu próprio choro silencioso. Esgoelando-se, a mulher descontrolada joga o espelho contra a parede e tão rápido quanto os cacos de vidros caem aos seus pés, ela começa a se estapear freneticamente enquanto exalta algumas outras palavras de ódio. A enfermeira finalmente alcança uma seringa e preenche-a com uma ampola de um poderoso calmante, logo o médico toma o objeto das mãos da mulher vagarosa e monta em cima da outra descontrolada para injetar-lhe o medicamento. Assim que a seringa perfura seu pescoço, ela lentamente se desvanece de sua consciência, caindo desacordada. Algumas pessoas adentram o recinto neste instante, e ajudam o médico à colocar a louca de volta na cama. Não contendo as lágrimas pelo trabalho arruinado, o cirurgião se apressar para enfaixar novamente o rosto ensanguentado da que se estapeou até romper os pontos da cirurgia. Atônita, a enfermeira aproxima-se da avox e começa a tagarelar – Para tudo! O que aconteceu aqui? Por um instante eu jurei que a mulher ia se matar, ou matar um de nós! Essa mulher deve ser completamente pirada, não é? – ela então olha para o rosto assombrado da avox, só então se lembrando que a criada não mais poderia responder-lhe. Vendo a mulher inconsciente na cama, o cirurgião resmunga com os seus botões – Pobre alma perdida... Ainda é atormentada pela imagem da mãe, mas insiste em se transformar em um copia perfeita de Cassandra. Se ela não pagasse tão bem... – diz ele com um suspiro pesado. Todos se retiram do quarto, sem saber que a guerra entre Cassadee Pope e ela mesma ainda continuava no fundo do seu subconsciente.

- DOIS MESES DEPOIS -

Uso as duas mãos para agarrar Narsh pela garganta - Seu verme imundo, está querendo me dizer que você só resolveu me avisar agora que a festa dos Beowulf será amanhã a noite?! - grito furiosa pela incompetência de meu ajudante. - Por favor, madame, me entenda. A senhora passou boa parte dos últimos dois meses sob sono induzido, desde o incidente da sua última cirurgia... - diz ele, e eu firmo o meu aperto fazendo-o engasgar - Por favor... A senhora só retornou a total consciência a menos de dois dias... Eu só queria zelar pelo seu bem estar... - ele implora de olhos esbugalhados com o seu rosto assumindo um belo tom de azul, logo solto o seu pescoço e começo a pensar. Os famosos gêmeos Beowulf estarão dando um grande festa amanhã a noite, festa esta que será a oportunidade perfeita para voltar à tona depois do que aconteceu naquela maldita clínica de estética. Os miseráveis abutres da imprensa devem ter feito a minha caveira enquanto eu estava fora de cena, e por um lado isso é bom, pois satisfaço-me só de imaginar que o meu nome deve ter rolado solto pelas boca da Capital.

Enquanto Narsh luta para recuperar o fôlego, eu me aproximo de um dos grandes espelho da minha sala de estar e observo as ataduras que ainda envolvem meu rosto. Retiro uma a uma e finalmente miro meu rosto após um bom tempo, caindo em gargalhada quando noto o quanto estou idêntica à minha falecida e miserável mãe. - Você vê o quanto estou bela, Cassandra? Mais bela do que você, afinal. E é chegado a hora de eu mostrar ao mundo que serei uma Cassandra melhor do que você foi, sua desgraçada! - olho de volta para Narsh e observo sua feição de espanto - Avise à imprensa que Cassadee Pope está de volta e que eu estarei na festa dos BeoWulf! E garanta que hajam holofotes o suficiente para saciarem minha sede por atenção! - digo e Narsh parte em disparada para cumprir minhas ordens. Olho de volta para o espelho e me assombro ao não mais ver o meu reflexo, mas novamente ver Cassandra em carne e osso parada à minha frente. - Criança tola! Acha mesmo que usar uma máscara com o meu rosto irá te aproximar sequer da sombra do que eu um dia fui? - diz a mulher com seu tom arrogante que sempre me gela a espinha. - Saia da minha frente; eu te matei uma vez, posso muito bem fazer isso de novo! - rosno para a imagem e esta ri de mim. Sinto meu sangue ferver e agarro a primeira coisa que vejo ao meu lado, me dando conta de que é um candelabro quando arremesso o objeto contra o espelho. - Eu não preciso mais de você, sua vadia. Nunca precisei... - digo e pouco mais de um segundo se passa até que uma vertigem me desequilibre. Sinto algo escorrer pelo meu nariz e assim que o gosto de ferro inunda meus lábios, levo os dedos até minha face e tenho-os tingidos pelo líquido vermelho e viscoso que indica que meu sangramento nasal voltou. Corro para o meu quarto enquanto a gargalhada de Cassandra ecoa pelos meus ouvidos.

- NA NOITE DO BAILE -

- Magnífica! Simplesmente magnífica! - diz Narsh, e pela primeira vez não sinto vontade de esbofetá-lo, pois realmente estou magnífica. Esta é a primeira roupa que produzo em algum tempo e me surpreendo com a minha abundância de criatividade. Um look elegante misterioso, misturando plumas e peças de joalheira que ornam perfeitamente com esta meia-máscara de ouro puro. Após laguns últimos ajustes, permito-me permanecer hipnotizada por alguns instantes enquanto olho para mim mesma. Narsh então me avisa o quanto estamos atrasado e mesmo assim não me apresso, pois sei que no momento em que eu botar os pés naquele baile, terei toda a atenção para mim. Dito e feito. Desço do carro unicamente para ter minhas pupilas ofuscadas pelas luzes dos flashes que iluminam toda a minha passagem pelo tapete vermelho até a entrada da mansão. A claridade dos holofotes que se voltaram para mim me impediam de ver a decoração do ambiente, mas uma vez que adentro a local da festa, elogio mentalmente quem quer que seja que tenha armado tão belo cenário para minha grande volta. Imbuo Narsh da tarefa de responder a qualquer pergunta dos paparazzi e me irrito quando ouço um ou outro grito falando de minha mãe, logo me apresso para o interior da festa que é onde o show realmente começará.

Desviando-me de pessoas não relevantes e de encontros indesejados, desfilo pela festa conversando rapidamente com os repórteres mais renomados, zombando da mediocridade de alguns convidados, agradecendo aos elogios e amaldiçoando aqueles que não reconhecem o quão superior eu sou em relação à eles. As perguntas repetitivas e difíceis de contornar deixo a cargo de Narsh que me segue como um cãozinho treinado. Antes que eu comece a ficar entediada, saio à procura de alguém interessante o suficiente para ser merecedor de alguns instantes de minha companhia.

Spoiler:
A mudança de narração em terceira pessoa no prefácio para primeira pessoa no decorrer do texto serve para mostrar como as pessoas veem Cassadee e como ela vê a si mesma e como pensa.
Roupa: Aqui!
thanks rapture
GORGEOUS
VIOLENT
maniac
avatar
Cassadee Pope
Capital
Capital

Mensagens : 8
Data de inscrição : 01/05/2015

Ficha Tributo
Emprego: Estilista
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Ravenna Witt. Stäng em Ter Maio 05, 2015 7:53 pm



⊱ It's a version of perversion ⊰
It's a version of perversion that is only for the lucky people Take your time and do with me what you will I won't mind You know I'm ill You know I'm ill So hit me like a man and love me like a woman Bury the side, look me in the eyes, I want it One will give you hell, one will give you heaven
Ravenna estava tendo um sono leve repousada em sua cama; após tanto trabalhar naquelas últimas semanas organizando inúmeros eventos e desenhando quase o tempo todo, a mulher achava que já era hora tirar um tempo de descanso. Suas exatas oito horas de sono pareciam não estar mais dando conta da rotina apertada da jovem estilista de forma que a mesma tinha que separar alguns sagrados minutos para relaxar. Ela não admitia que precisava fazer isso até virar uma bomba relógio, explodindo sem aviso prévio e atingido que estivesse próximo. Raven era uma figura social, e seu trabalho necessitava de uma comunicação agradável entre ela e seus clientes, ser uma vadia  mal humorada sem dúvida não estava nos seus planos.  

Mal havia acabado de se deitar e o despertador já arrancava-lhe da cama com aquele som estridente e perturbador. Sinceramente, ela achava impróprio aquele barulho para despertar uma pessoa do sono, ele fazia acreditar no quanto a vida era uma merda só pelo fato de ter que se levantar da cama. Se espreguiçou lentamente, ainda embaixo das cobertas, e desligou o aparelho, pegando uma placa de vidro retangular e fina em cima do criado mudo ao lado de sua enorme cama. Apertou um singelo botão circular e isso fez com que a tela se iluminasse, fazendo o aparelho ganhar vida. Mais uns toques e ela acessara o calendário. Sua agenda informava que daqui a duas horas se iniciaria a festa dos gêmeos Beowulf, mas é claro que Raven não precisava de uma agenda para se lembrar disso. Festa não era algo que a mulher se esquecia tão facilmente, nem o dia mais cansativo, nem a enxaqueca mais forte poderiam desanimar a estilista de comparecer a festa. Ainda mais se fosse festa dos Beowulf. Ninguém que era convidado deixava passar a oportunidade de ir para a melhor festa da Capital.

Levantou-se da cama, caminhando até o banheiro onde tomou um banho demorado e pode se despertar. Ao sair, com uma toalha branca enrolada no busto e uma enrolando seus cabelos, já estava totalmente energética pela noite que teria. Após secar os cabelos negros, caminhou até o closet enorme que tinha. Sem dúvida era o maior cômodo da casa, repleto de roupas inéditas e que novas; Ravenna nunca usava a mesma roupa duas vezes, após usada uma peça, a mulher a doava ou colocava numa loja. Passou pela secção onde tinha saias longas e finalmente parou nas suas peças mais preciosos: os vestidos de festas. Eles ficavam mais ao fundo do closet, num armário de vidro, vestidos por um manequim. Minutos se passaram enquanto Ravenna andava de um lado para o outro tentando escolher qual seria o mais apropriado para aquela noite, eram tantas as opções que escolher uma sozinha era quase que uma tortura! Decidiu algo que dava-lhe mais liberdade para dançar, um vestido que mostrava suas belas pernas, brilhoso e extravagante, com um sapato altíssimo e preto também.

Voltou ao seu quarto saltitante e feliz, pronta para fazer sua máscara. Ela não iria ser normal e pegar aquelas máscaras e apenas coloca-la no rosto, queria inovar mais uma vez. Decidiu que pintar o rosto seria algo chamativo e inovador, e nada melhor do que fazer uma pintura de caveira mexicana em tons de azul, preto e branco, com direito a glitter e pedras. Se sentou-se na penteadeira, onde ficou por horas fazendo a maquiagem no rosto e depois preparando o penteado do cabelo. Raven mal poderia esperar para chegar a festa. [...]  

Parou de andar no hall da porta, observando o baile que ocorria ao seu redor. Sua postura correta e seu olhar fixo e seguro lhe dava um ar de realeza, somando aquele vestido majestoso a mulher parecia uma rainha da moda, o que, de fato, ela praticamente era. Deu um sorriso involuntário, se sentindo maravilhosamente bem com o ambiente festivo. Adorava as festas dos Beowulf, eram simplesmente as melhores!  
Seus passos se dirigiram para o bar, onde pediu para que o barman lhe servisse algo diferente e energético. Aquilo apenas para começar a noite, afinal, tinha muita coisa ainda pela frente para acontecer. A pista de dança lhe esperava e ela mal podia esperar pela sensação de liberdade que o álcool, luzes e a música lhe forneciam. Agradeceu ao homem assim que ele lhe entregou uma taça com um conteúdo rosa forte, a borda da taça era coberta de açúcar. Se virou, ficando de costas para o bar e analisou as pessoas a sua volta, até se encontrar com a figura com o cabelo mais colorido que o normal de Panem, sorrindo e acenando para todos que via pela frente.  

Ravenna sorriu, se divertindo ao observava sua parceira estilista chegar na festa. Agora tudo ficaria bem mais louco. A mulher virou o conteúdo do copo na boca, limpando os cristais de açúcar que ficaram nos lábios, logo pediu uma outra dose da mesma bebida (que era maravilhosa por sinal) e se dirigiu para Ann, passando o braço por baixo do dela e puxando-a para a área mais movimentada e barulhenta da festa. — O que a Louca pretende aprontar hoje, hn? Espero que eu esteja nos seus planos, afinal, quanto mais gente, melhor. - repuxou o canto dos lábios num sorriso malicioso. Nada poderia abalar a jovem numa festa. Queria diversão, queria loucuras e liberdade. Afinal, era assim a vida da elite da capital.  

⊱ wearing this | mask this | with Ann | baile ⊰


if i may just take your breath away
I don't mind if there's not much to say. sometimes the silence guides your mind so move to a place so far away. the goosebumps start to raise the minute that my left hand meets your waist and then I watched your face
avatar
Ravenna Witt. Stäng
Capital
Capital

Mensagens : 26
Data de inscrição : 25/04/2015
Idade : 20
Localização : Capital, bitch

Ficha Tributo
Emprego: Estilista
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Ann-Ronwe Teufelsjäger em Ter Maio 05, 2015 11:52 pm


They call me crazy  and lunatic with words and looks
but they burn people and laugh at their misfortune
A memória às vezes é um fardo, para alguém com uma memória que nem a minha era pior ainda. Apesar disso eu havia aprendido a separar o inútil do que me servia de algo. Nomes e rosto eu guardava, sobrenomes não me interessavam, tampouco fariam diferença para mim. Ou seja, associar sobrenome às pessoas que eu conhecia apenas pelo nome e sorrisos de capas de revista era algo bem complicado.

— Aaaah! Então os tais Beowulf são Banshee e Floyd — Assenti em afirmação para mim mesma quando cheguei àquela conclusão.

Tirei o pirulito da boca por uns instante, trocando o sabor açucarado de morango pelo de chocolate meio-amargo ao comer um pedaço de brownie do buffet. A melhor parte das festas? A comida. Sempre. Tudo bem, podemos voltar ao assunto de exagero neste quesito, principalmente quando mais da metade de Panem passava fome, mas o que eu podia fazer? Juntar todas as comidas numa bolsa e mandar pros distritos? Em situações onde não se há o que fazer o mais inteligente é calar-se e esperar por tal oportunidade. Meu silêncio já durava anos, calar-me mais uma vez não me afligiria. De todo modo, loucos não possuem vozes.

Dei um gritinho animado de repente, batendo palmas em meio a alguns pulos. A minha frente estava Evelyn Reinhardt, não era a primeira vez que a via, tampouco seria a última, mas em todas as ocasiões minha reação era sempre a mesma: a de uma fã exaltada. Basicamente pulei ao seu lado, pouco me importando com a presença dos que estavam ao seu redor.

— Eve! — A chamei, e no momento que ela virou o rosto na minha direção bati uma foto com meu celular com um sorriso largo de orelha à orelha. Voltei-me para ela batendo uma espécie de continência e curvando-me levemente, e com uma risada de um ‘Obrigada!’ animado saí dali.

Guardei o celular no bolso do casaco e quase no mesmo instante alguém abraça minha cintura. A voz divertida soando ao meu lado quase tão animada (ou talvez mais?) quanto a minha.

— Hoje? Hm, meus planos para divertimento ainda não estão completos, cara soldada companheira estilista Stäng — Comecei erguendo o indicador para o alto, logo depois tirando o pirulito da boca para poder falar direito, já que a frase soou horrivelmente (ainda mais por conta do sotaque da capital). — Vamos esperar o momento certo, afinal, “Panem sempre agraciará aqueles que lhe servirem com lealdade e obediência”. — Disse imitando o modo de Floyd de falar.

Um garçom passou com um balde de gelo com uma garrafa de champagne em uma bandeja e institivamente a peguei, antes que o homem pudesse reagir (já que falar era impossível) sorri amigavelmente e fiz um gesto de okay com a mão direita depois de voltar a colocar o pirulito na boca. Bebi um gole no gargalo, importando-me com as pessoas ao meu redor com o mesmo nível de importância que daria à cães me vendo beber.

Naquele segundo avistei outra figura próxima de mim e com uma risadinha ao fim passei a garrafa à Raven. Cassadee estava a exatos três passos de distância de mim, de costas. Corri até ela abraçando-a por trás enquanto engatava meus braços em sua cintura como um carrapato, seu assistente suprimiu um grito de susto e horror sem saber o que fazer ao certo diante daquela inusitada situação.

— CASSY! Por onde andou?! — Perguntei, deixando tão claramente a loucura d’A Louca nítida naquela simples ação, afinal, não era qualquer um que tinha a audácia (ou sanidade) de abraçar Cassadee Pope, ou chama-la de Cassy. A verdade? Aquela festa estava calma demais.


Dress & Mask | Não revisei nada ainda, mas revisarei. ;3;




annika-ronwe teufelsjäger

— if i'm an accessory you're just a napkin, mate —
avatar
Ann-Ronwe Teufelsjäger

Mensagens : 18
Data de inscrição : 02/05/2015
Idade : 24
Localização : In Wonderfuckingland

Ficha Tributo
Emprego: Estilista
Tésseras: 450
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Cassadee Pope em Qua Maio 06, 2015 12:30 am


MASQUERADE
Entre sorrisos forçados, falsos elogios e cortadas cruéis, perambulo pela festa até que sinto sede. Olho em volta à procura de algum garçom que me sirva alguma bebida saborosa, mas decido ir até o bar quando avisto de longe Lycra Myler, repórter famosa entre a elite. Ainda que todos estejam mascarados, confirmo que aquele é de fato Lycra quando, à medida que me aproximo, noto a vestido horroroso que a mesma usa em conjunto com uma peruca torta que me trás asco, o típico estilo de Lycra. Aproximo-me com um largo sorriso - Olá, amiga, há quanto tempo, não? Estás bela como nunca. Se eu não soubesse, até diria que seu vestido é um da minha coleção, de tão belo que é. - digo e a cretino me olha dos pés à cabeça antes de responder em tom rude - Mas é claro que não é da sua coleção, meu bem, eu ainda me prezo por me vestir adequadamente para um evento importante. Além do mais, você é que andou sumida, né amor? Complicações na 87ª cirurgia do ano? Todo mundo achava que você tinha perdido um olho ou que seu rosto tivesse finalmente caído. - ela diz e ri. Sinto meu sangue ferver de ódio e minha pele se ouriça por completo pela vontade de saltar no pescoço desta desgraçada, mas não, respiro fundo e escancaro ainda mais meu sorriso - Lycra, querida, hilária como sempre, não é amiga? Mas vejam só, se não é a própria Banshee vindo ali! - digo e aponto para o meu da multidão. Enquanto a mulher miserável procura atenta pela anfitriã, eu rapidamente agarro a sua taça de cima do balcão e dou uma bela e viscosa cuspida dentro de seu drink, pondo-o no lugar antes que a dona desatenta volte-se para mim ao dizer - Deve ter ficado cega também. Aquela não é a Beowulf, Pope. Agora deixe-me ir. - diz a ordinária enquanto se retira degustando inconscientemente de minha saliva.

Rindo internamente, ordeno que o barman me prepare uma bebida e logo olho em volta à procura de Narsh. Rapidamente avisto-o de flerte com um homem em um canto, logo digo em alto e bom som – Narsh! – nenhuma outra palavra é necessária para que o jovem encerre seu falatório e venha para de junto de mim com o rabo entre as pernas. – Não desgrude de mim, seu inútil! – digo o mesmo apenas consente com a cabeça.
Perambulo um pouco mais pela festa, à procura dos anfitriões que poderão me garantir boas fotos no dia seguinte caso eu consiga passar alguns instantes com eles. – Você já viu Floyd ou Banshee por ai? – pergunto para Narsh e este nega, esboçando grande tristeza em sua feição. Talvez eu pudesse me incomodar em estar estragando a noite de outra pessoa, isto é claro se eu não fosse imune aos sentimentos alheios. Paro por um instante no meio da pista para me aliviar do incomodo que os meus sapatos me trazem, e é então que sou surpreendida por um aperto que me vem por trás. – CASSY... – ouço uma familiar voz gralhada e temo o infortúnio que me aguarda quando eu me virar. Agarro com força as mãos que me arqueiam pela cintura e retiro-as do meu corpo, virando-me apenas para de cara com Ann, a estilista louca do 10 à 12. – Ann, querida, espevitada como sempre, não é mesmo? – digo sem me esforçar em esconder o tom irônico em minha voz, afinal, quem me garantirá que esta louca se quer sabe o que está falando. Ela começa a tagarelar e eu reviro os olhos, procurando em volta por Narsh que mais uma vez sumiu. Não demora até que eu veja outra estilista, Ravena, se aproximando. Ergo a mão em um aceno.

Spoiler:
Roupa: Aqui!
thanks rapture
GORGEOUS
VIOLENT
maniac


Última edição por Cassadee Pope em Qua Maio 06, 2015 3:14 am, editado 2 vez(es)
avatar
Cassadee Pope
Capital
Capital

Mensagens : 8
Data de inscrição : 01/05/2015

Ficha Tributo
Emprego: Estilista
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Charlotte M. C. Reinhardt em Qua Maio 06, 2015 12:39 am


❝ Shoot to thrill, play to kill. ❞

Deslumbrante. Não  havia quaisquer outras palavras para descrever tamanha beleza em uma personalidade só. Admito que já tenha colocado os olhos nela antes, evidentemente pertencia a elite daqueles que gozam de todos os benefícios oferecidos na Capital, e obviamente não encontrava-me distante de fazer o mesmo. Pobre, Alex. Ficaria completamente só e provavelmente faria companhia a minha querida irmã gêmea. Desta vez não beberiquei a bebida, e sim tomei um longo gole desta ao analisar minha presa... Digo, dama. — Pode me dar licença, Alex? — mal terminei de formular uma desculpa aceitável ao afastar-me de sua companhia estranhamente amigável em uma noite como esta.  Meus dedos prontificaram-se para que minha máscara continuasse no mesmo lugar que a colocara, antes que minha inquietação pudesse atrapalhar meu físico, modéstia parte, perfeito.

Não tardou para que minha isca finalmente tivesse suprido seu objetivo e a beldade se aproximasse. Não pude evitar de fixar em seus olhos castanhos e logo apreciar as curvas prontamente e sem vergonha alguma. A mesma parecia divertir-se e não pude evitar um sorriso crescer em meus lábios. Livrei-me de minha taça vazia na primeira oportunidade e tratei de envolver a mão da moçoila e beijá-la. Um completo cavalheiro, de fato, até a página dois. Não conseguia reprimir os pensamentos de malicia perante minha companhia e tais pensamentos apenas se alternaram-se em tamanha discórdia quando senti sua pele quente em meus lábios — não seria o último membro tocado por eles, acredite em mim. — Floyd, o prazer é todo seu. Uma coisa? Há uma lista de mil e um requisitos. — confidenciei, dando uma piscadela e alargando um sorriso que apenas crescia com o ritmo que nosso breve diálogo tomava. — Muito justo. — concordei, ficando ao seu lado e encostando a palma de minha mão em suas costas, não prometendo que ficariam ali para sempre. Conseguia sentir o formigamento em meus dedos para que deslizasse por suas costas e chegasse a uma parte mais íntima e pomposa.

A atenção alheia era inevitável, mas ao reconhecer a fama que tinha o gêmeo Beowulf não seria um problema por completo — não que me importasse, pra ser sincero. Seria avisado quando a hora chegasse e não perderia uma chance como essa tão próximos dos jogos começarem. Afastamo-nos da multidão e seguimos para o jardim, onde conseguia ouvir uma música extremamente agitada, contudo, abafada as paredes próximas do labirinto que tomava o terreno. — Agora sim, um pingo de privacidade que me fora tirada. Posso ter a honra de saber seu nome ou serei obrigado a ter uma ficha completa sobre vossa pessoa em cerca de cinco minutos? — não era uma ameaça que pudesse assustá-la, e sim intimidá-la, de certa forma deixa-la convicta de minhas intenções. Ela havia despertado minha curiosidade que mantive distinta de minhas vontades, agora o prazer seria conhecê-la de todas as maneiras possíveis. — Está extremamente linda nesta noite. — comentei passageiramente, enquanto me apossava de duas bebidas e lhe oferecia uma delas.
avatar
Charlotte M. C. Reinhardt

Mensagens : 196
Data de inscrição : 09/04/2015
Idade : 24
Localização : This Is Capitol, Sweetheart.

Ficha Tributo
Emprego: Idealizadora
Tésseras: ∞
Pontos de Patrocínio: ∞

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Cassadee Pope em Qua Maio 06, 2015 2:43 am


MASQUERADE
Para meu alívio, Ravena se aproxima enquanto Ann tagarela algo sobre pandas. Olho a estilista do 7 ao 9 dos pés à cabeça e pergunto como esta mulher conseguiu um emprego no ramo da moda usando tais vestimentas de mal gosto. - Ravena, querida, como vai? - digo tentando amenizar meu desânimo por me ver presa à estas duas. Assim que termino de cumprimentar Ravena, Narsh chega ao meu ouvido e cochicha - Madame, não sei como dizer isto, mas me parece que Lycra Myller está logo ali falando mal da senhora. - ele diz e eu engasgo com a raiva que me domina. - Com licença, meus amores, preciso ir ao toilete. - digo e sem esperar pela resposta das duas estilista, me retiro arrastando Narsh comigo para de junto do bar. - Estou farta desta vaca se achando superior à mim! - digo furiosa, dando um soco no balcão ao passo que meu ajudante tenta me acalmar do surto de ira que me queima por dentro. Neste momento, algum tipo de fumaça adentra as minhas narinas e quando olho para o lados, vejo um velho barrigudo fumando um charuto. Meu primeiro reflexo é o de partir para cima do velho escroto, mas quando olho bem para o charuto em sua boca, um estalo me vem à mente e o desejo de vingança incendeia meu peito. Agarro pelo colarinho o primeiro bartender que vejo e ordeno - Prepare-me algo bastante forte! Algo com muito, muito, muito álcool! E preencha o maior copo ou taça que tiver! Agora! - o rapaz me olha aflito, mas logo obedece e prepara uma mistura que me faz lacrimejar com o cheiro forte. - O que a senhora está fazendo, madame? - Narsh indaga com o temor estampado em seu olhar. Entrego a bebida ao jovem e digo ao seu ouvido - Chegue perto de Lycra e garanta que ela seja banhada por este drink... - ele então abre a boca para dizer algo, mas eu logo o interrompo - Não questione, apenas faça! Rápido! - ladro e meu lacaio sai em direção à vagabunda da Myler. Aproximo-me do velho gordo e peço-lhe um charuto, este de pronto atende ao meu pedido e ainda acende o grande rolo de fumo importado para mim. Sem perder tempo, localizo Lycra no meio da multidão e vejo Narsh esbarrando na cretina, cumprindo minha ordem ao derramar todo o conteúdo na taça no vestido horroroso que a maldita usa. Aproximo-me rapidamente em meio ao alvoroço e passo perto o suficiente de Myler para jogar o charuto aceso na calda de seu vestido. Continuo minha marcha apressada e poucos segundos depois, vejo o alvoroço se formar quando o vestido de Lycra começa a pegar fogo. Gargalhando, corro para o toilete e para olhando-me no espelho - Você é de mais Cassadee! - digo para mim mesma, mas ouço uma voz macabra em resposta - Quem brinca com fogo acaba se queimando! - ouço pela voz de Cassandra. Olho para os lados assombrada e raivosa - Saia de perto de mim, imunda! - grito. A gargalhada da defunta ecoa alto em meus ouvidos e então me desespero enquanto tenho outra vertigem que me leva ao chão. O gosto de sangue inunda minha boca e o mundo se torna escuro ao meu redor.

Spoiler:
Roupa: Aqui!
thanks rapture
GORGEOUS
VIOLENT
maniac
avatar
Cassadee Pope
Capital
Capital

Mensagens : 8
Data de inscrição : 01/05/2015

Ficha Tributo
Emprego: Estilista
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Caitlyn A. Knox em Qua Maio 06, 2015 4:15 am


i'm so used to being used

Seus olhares eram atentos em direção ao dono dos olhares. Ela reconheceu os olhos azuis de imediato, rindo consigo mesma. Eu realmente consegui chamar a atenção de um dos irmãos? Nossa, hoje é meu dia de sorte mesmo. Deu de ombros, observando cada detalhe da festa, com um sorriso irônico. Endireitou se, tomando o resto de vinho que tinha em sua taça, enquanto estava pensativa. Conversava ainda com Tecquila sobre coisas banais, dando de ombros, uma vez ou outra quando a mulher falava algo que não era de seu interesse. Aqueles olhares que lhe eram dirigidos, Evelyn até adorava aquela atenção toda, porém achava um tanto estranho. Ela não ligava muito, mas apesar de tudo, os olhos azuis que a encarava, ela não conseguia desviar o olhar, era realmente difícil. Ela tentava observar, mas sem ser percebida. Enquanto Evelyn conversava com Tecquila, tinha sido 'gritada' por uma fã.  Eve, você se controle menina! Suspirou fundo, sorrindo. Viu a jovem tirar sua foto e lhe dizer um obrigada. Isso a fez rir. Sorriu levemente para Tecquila. Riu. — Viu? Ser famosa não é tão divertido, Teccs. — A jovem deu de ombros, encarando Tecquila, rindo, enquanto olhava novamente para a direção dos olhares que lhe era dirigido. Ela observava os olhos azuis com tranquilidade. Como seria aquele homem sem as máscaras? Hm... Eu hei de descobrir! Ela pensava. Quando Evelyn levantou novamente o olhar para a direção onde o 'homem dos olhos azuis' a olhava, ele não estava. Seus olhos passeavam pelo o salão rapidamente, até encontrar lô novamente, decidida , sabia o que ia fazer.

Começava a andar com passos calmos, em direção ao homem cujo o olhar tinha sido dirigido a Evelyn. Ela não sabia muito bem o que iria fazer, era instinto talvez. Continuou a andar, um tanto mais decidida, até se aproximar do idealizador e dizer suas 'doces' palavras. Observou o. E antes que pudesse ter tempo de dizer algo, aparecia outra fã de Eve a gritando, era Ann. Se controle, Ann! A jovem de cabelos coloridos, postara se em seu lado.  — Olá, Ann. — A jovem tirara uma foto de Eve com seu celular, a agradecera e antes batera continência. Evelyn não era militar para lhe baterem continência. Controlou se para não falar algo indevido, suspirando fundo. Sorriu para o homem. — Desculpe me por Ann. É uma fã. E bom, em minha 'profissão' sempre temos tempo para fãs, e não. Não sou modelo ou atriz, é muito chato. Quando tivermos mais... Privacidade, lhe falarei de mim. — Sorria sarcástica, vendo o homem aplicar um beijo leve nas costas de suas mãos e apresentar se como Floyd. Oras! Evelyn sabia quem ele era.  Sorriu irônica, agora. —  Oras, eu preciso saber quais são seus... Requisitos, pedidos, desejos, como quiser chamar. E creia me, vou aproveitar muito de sua companhia, Floyd. Vamos? — O nome do idealizador tinha saído com um tanto de ironia e sarcasmo. Nunca mais esquecerei esse nome, ainda aparecerei em outras... Festas. Os pensamentos de Eve a divertiam muito. Sentiu uma das mãos do idealizador agora, ao seu lado em suas costas. Corou de leve e sorriu, o seguindo. A noite promete memso...

Enquanto Eve e o rapaz andavam, a música soava nos ouvidos de Evelyn e aquele silêncio a irritava muito. Ela não gostava. Queria ouvir a voz do homem ao seu lado de novo. Aquela voz, sinceramente, a tinha hipnotizado e ela poderia ouvir lá falar por horas sobre os assuntos mais chatos possíveis. Quando chegaram a um jardim, Floyd tinha parado de caminhar. A música, mesmo que abafada, ainda era familiar a Evelyn. Seu maior sucesso, The Wicked Girl. Era um sucesso na capital. Deu de ombros, achando um banco e se sentou, então levantou se novamente, segundos depois, se endireitando, ouvindo o homem rindo baixo. Ela observava Floyd da cabeça aos pés altamente curiosa sobre ele. Não perguntaria coisas que fossem óbvias demais. Endireitou se, se levantando. — Privacidade enfim, realmente, será bom ficar longe ao menos, um pouco, de tantos fãs, barulho, entre outras coisas. E meu nome? Oras! Que bom que sou digna de você gastar seus 'recursos' para descobrir, mas tem um porém aí. Você deveria saber. — Evelyn fez um bico e pousou a mão no coração fazendo um gesto dramático, fingindo se ofendida. — Você toca uma música minha em sua festa e não sabe meu nome? Me senti desprezada. Bom, enfim. Sou Evelyn, muito prazer. Essa máscara está me incomodando, depois a coloco. — Evelyn revirou levemente os olhos, sobre a máscara, a retirando. Colocou sobre o banco próximo e ajeitou seus cabelos. Ela se ajeitou novamente, apoiando o peso do corpo sobre o outro pé. — Você vê meu rosto em vídeo clipe várias vezes, acho justo eu ver seu rosto, já que nunca vejo em revistas ou tablóides. Não perco meu tempo com isso, sabe? — Ela disse se endireitando, enquanto pensava em algumas coisas. Ela sorriu. — Nossa, obrigada. Acreditaria se dissesse que este vestido foi o primeiro que achei E gostei? — Ela disse divertida. — Você também não está nada mal, Floyd. — Sorriu, pegando a bebida da mão do homem, tomando um gole.

tags: welcome to my kingdom wearing: this, the shoes; notes: i can't be an angel today... a máscara tá no gif cidadão q
avatar
Caitlyn A. Knox
Capital
Capital

Mensagens : 35
Data de inscrição : 27/04/2015

Ficha Tributo
Emprego: Cantora
Tésseras: 100
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Irina Petrovich em Sab Maio 09, 2015 1:45 am

I can't stop this feeling Deep inside of me Girl, you just don't realize
A imagem refletida no espelho era da jovem ainda com uma toalha enrolada no cabelo e a pele clara como de comum, natural, sem nenhum tipo de maquiagem. Fiquei por um tempo assim, imóvel me olhando no espelho, sentada a frente da penteadeira enquanto refletia um pouco sobre a vida e o que deveria esperar daquela noite. Desenrolei a toalha do cabelo que ainda estava bastante molhado, devido ao banho, liguei o secador e sequei meus cabelos antes de fazer o  penteado, o que não era nada mais que meu cabelo, totalmente natural, com um pouco mais de volume para realçar. Olhei a maquiagem que estava sobre a mesa, já separado tudo o que precisaria usar, comecei a fazer a maquiagem, desenhando  meu rosto. Meus olhos procuraram novamente a imagem no espelho ao terminar a maquiagem e agora estava completamente diferente,  meu cabelo caia sobre os ombros em alguns cachos largos e bem modelados,  meu rosto agora com os traços perfeitos e bem marcados de uma boneca.

Levantei-me da cadeira e caminhei até o closet ainda de roupão e descalça, tentava tocar o chão da forma mais leve possível, nunca foi de meu agrado andar descalça. Em instantes estava no closet, aumentei as passadas enquanto me aproximava do armário onde estava o look  perfeito, peguei e caminhei até o espelho, me livrando o roupão no caminho e parando em frente ao espelho, deixei a roupa a frente de meu corpo por alguns instantes enquanto me observava no espelho. Vesti a roupa e logo após calcei os sapatos.

Desci as escadas indo em direção a rua, eu estava um pouco atrasada segundo meu relógio. Meus olhos procuraram o relógio, de fato estava atrasada.. Fiz o trajeto na limousine, apesar de que não era muito longe. Logo que cheguei ao local, via pessoas por ali, os organizadores da festa em Panem eram bem criteriosos, isso era notável na impecável decoração. Tudo parecia perfeito, e quando digo perfeito, era pela quantidade de pessoas ali presentes. Era possível se ter uma overdose de contentamento?! – essa era uma pergunta que queria desvendar naquela noite.


Masquerade, baby!







Petrovich
Never underestimate a pretty face
avatar
Irina Petrovich
Capital
Capital

Mensagens : 4
Data de inscrição : 26/04/2015
Idade : 25
Localização : Capital

Ficha Tributo
Emprego: Atriz
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Bobbie Davies em Sab Maio 09, 2015 9:58 pm

Dance with the devil
    Festas sem nenhum propósito, arriscar a vida em uma arena e viver controlado por um velho autoritário... Essa era as nossas vidas hoje em dia. O assunto do momento em toda Capital era o baile que seria dada pelos gêmeos Beowulf, conhecidos por nunca usarem seu dinheiro para coisas mais produtivas e sim em festividades extravagantes e luxuosas. E o que eu estaria fazendo nessa festa? Cuidando da princesinha da família Teufelsjäger, é claro. E a única obrigação desta festa era o uso de uma máscara, afinal não seria um baile de máscaras se não a usássemos.

    Vesti-me, usando um vestido preto em conjunto de uma máscara preta com pequenos detalhes em seu design não tão chamativos para roubar a atenção da Ann-Ronwe. Então ao lado da pirralha que às vezes me fazia recordar da minha adolescência rebelde, partimos para a tal festa. A mansão onde o baile estava sendo realizado estava em diferentes temáticas com estruturas e decoração pomposas. A entrada era enfeitada de flores, lustres e um tapete vermelho que estendia-se para que seus convidados fossem bem recebidos por seus anfitriões e demasiados funcionários espalhados pelo terreno a procura de atender todos que precisassem ou não de vossa atenção.

    Acompanhava a garota para todo lugar que a mesma ia, observando-a conversar com uma garota um tanto estranha. Ela estava parecendo que havia engolido uma galinha recheada de joias e aquilo em seu pescoço estava mais para um colar cervical enrolado em penas. Permanecendo parada ao lado da Ann, mantinha meus olhos focados nas outras pessoas presentes e em suas roupas.





Cause baby, i'm a sociopath. Sweet Serial Killer.

avatar
Bobbie Davies
Avox
Avox

Mensagens : 4
Data de inscrição : 05/05/2015
Idade : 19
Localização : Quando eu era apenas uma garota, dizia ser uma deusa... e vivia nos céus. Algumas vezes me pergunto porque desci.

Ficha Tributo
Emprego: Desempregado
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Irina Petrovich em Sab Maio 16, 2015 6:21 pm

I can't stop this feeling Deep inside of me Girl, you just don't realize
Como eu jã estava acostumada,o tal baile não rendeu muita coisa. Assim como todas as festas que aconteciam em Panem, nada me agradava. Cautelosamente sai dali, de volta para casa, onde era o lugar que eu realmente desejava estar.


TURNO ENCERRADO


Masquerade, baby!







Petrovich
Never underestimate a pretty face
avatar
Irina Petrovich
Capital
Capital

Mensagens : 4
Data de inscrição : 26/04/2015
Idade : 25
Localização : Capital

Ficha Tributo
Emprego: Atriz
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Charlotte M. C. Reinhardt em Qui Maio 28, 2015 7:51 pm

Baile de Máscaras
A festa  continuava com a música alta, pessoas conversando sobre vários assuntos, flertes aconteciam, pessoas dançavam. Para qualquer um que via, aquela festa na mansão dos gêmeos Beowulf poderia ser considerada extremamente comum, já que o álcool corria a solta naquela festa. Pessoas se embriagavam, conversavam sobre excentricidades e praticamente, se divertiam. Os mais variados nomes estavam na festa. O filho do presidente de Panem, Alex Rockefeller, as estilistas Ravenna Stäng e Ann-Ronwne Teufelsjäger. As atenções da mulher loira escondida, se dirigia a jovem de cabelos coloridos. A mulher não admitia a ninguém, porém adorava o trabalho. Ela ainda continuava a observar o salão.

Enquanto muitos casais dançavam, a jovem ficava observando todos naquela festa, enquanto reconhecia um ou outro rosto famoso. Ela, era Alaska Hollerbrook, a jovem idealizadora recém contratada, depois que um idealizador antigo, já envelhecido, 'sumira'. Ela endireitou seu vestido vermelho, que continha uma fenda que exibia suas belas pernas, ainda escondida em seu canto, evitando qualquer atenção desnecessária, até seu grande momento. Ela estava com sua avox, Ellyria, uma jovem morena, de uma beleza simples, com seus olhos esverdeados, e sorriu divertida. —  Sabe, Ellyria, seria interessante se você fosse me buscar uma taça de vinho do porto, e não demorasse. Por favor? — A mulher sorriu, se sentando em uma almofada, enquanto observava tudo.

A avox voltara com sua taça de vinho do porto, enquanto ela acenava para que lhe fosse dado o papel que a Avox carregava. Leu a carta em uma caligrafia simples. 'Você tem a permissão para eliminar o alvo 2E20013-P. Siga com o plano já traçado'. O  selo de Panem jazia no final da carta, vendo o relógio que encontrava se na casa. Era a hora. Alaska levantou se, fazendo um sinal de cabeça para os pacificadores, que entravam trazendo em suas mãos, um chicote e arrastavam vários prisioneiros, e em especial, homem velho, bem familiar a pessoa que Alaska observava, Ann-Ronwe. Apenas abriu seu sorriso de escárnio, subindo as escadas e parando em um degrau, onde pudesse ser observado. — Ótima festa, irmãos Beowulf, ótima festa mesmo! — Ela sorriu em deboche, encarando próximos da escada, Banshee Beowulf, surpresa e o seu irmão, com uma mulher morena, com uma máscara preta e vestida de vermelho, que esforçou se um pouco para reconhecer, claro. Uma cantora, Reinhardt, Evelyn, ela supunha. — Oras! Ninguém anunciou que eu viria? Que trágico. Bom, acho que gostarão do motivo de minha surpresa. Bom, como todos ficaram sabendo, temos traidores entre nós. Sejam pacificadores ou até mesmo... Capitalistas. — O olhar de Alaska era feroz, em direção a Ann-Ronwe. — Oh! Como eu sou rude. Não me apresentei. Para todos aqueles que não me conhecem, sou Alaska Morgenstein Nietzche Hollerbrook, a nova idealizadora, recém contratada. Fui contratada no lugar de Ever Hollerweisch, que  infelizmente sumiu. Para lhes mostrar, como eu ajo, não duvidem. Vocês, TODOS aqueles que pensam em até mesmo, trair os governo de Panem, vejam os que lhe acontecerá. — Ela deu um sinal com a cabeça. Então o pacificadores, prenderam os prisioneiros que arrastavam, os amarrando em várias vigas que se encontravam na casa, que era de concreto. Rasgou a blusa dos prisioneiros, então começou. Clap. Uma chicotada. Clap. Outra chicotada. Os pacificadores deram 20 chicotadas em perfeita sincronia.

Então, ela fez um outro sinal com a cabeça, para que parassem. Ela sorriu divertida. — Vocês terão o mesmo destino que eles, se ousarem levantar um dedo sequer, contra Panem, lembrem se sempre. Panem sempre será boa com aqueles que lhes servirem com lealdade e obediência. Já os traidores... Bom, vocês viram quase tudo. Agora, para fechar com chave de ouro, o que sempre fazemos para descartar e eliminar a parte ruim de uma sociedade próspera... — Ela sorriu debochada para a menina Ann-Ronwe que era segurada por um pacificador, gritando desesperadamente por seu tio que lá estava. — Eliminamos não temporariamente, mas permanentemente e ensinamos a todos que querem acabar conosco que não é... Bom fazer isso. — Então, ela estalou os dedos. Os pacificadores que no total, eram 20, pegaram suas armas, então, destravaram a arma e por fim, puxaram o gatilho e o único som que se ouvira, foram de 20 tiros em sincronia e no instante seguinte, 20 corpos caíram ao chão. — Agora, aproveitem a festa! — O sorriso divertido de Alaska era interpretado como uma incógnita, até que poucos minutos depois, um Floyd Beowulf, um tanto assustado, fora até a escada, anunciando o fim da festa. Alaska não fizera nada, além de sair. Aquela festa, tinha sido um tanto interessante.

Informações importantes:

Código:


Este é o encerramento do baile de máscaras. O que deverá ser OBRIGATÓRIAMENTE mencionado, é a presença da nova idealizadora, Alaska Hollerbrook, as chicotadas e a execução.

Todos aqueles que postaram na primeira parte, deverão OBRIGATÓRIAMENTE postar o encerramento nas festividades.

Todos aqueles que postaram sua saida antes do post de encerramento não irão receber a premiação completa, mas sim a metade.
Créditos à JVBR



So, Can I Show You My Sweet Home, Hell?

avatar
Charlotte M. C. Reinhardt

Mensagens : 196
Data de inscrição : 09/04/2015
Idade : 24
Localização : This Is Capitol, Sweetheart.

Ficha Tributo
Emprego: Idealizadora
Tésseras: ∞
Pontos de Patrocínio: ∞

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Ravenna Witt. Stäng em Dom Jun 07, 2015 7:05 pm



⊱ It's a version of perversion ⊰
It's a version of perversion that is only for the lucky people Take your time and do with me what you will I won't mind You know I'm ill You know I'm ill So hit me like a man and love me like a woman Bury the side, look me in the eyes, I want it One will give you hell, one will give you heaven
Após tanto conversar, dançar e beber, Ravenna já sentia cansada da festa; já havia se divertido o suficiente naquela noite, e quanto mais gente falsa e hipócrita ia conversar com ela, mas vontade de se retirar da festa ela sentia. Infelizmente, esse era o pego a se pagar por ser conhecida e fazer parte da elite capitalista; todos eram extremamente falsos. Acabou que se sentou numa das poltronas disponíveis no espaço da festa, bebericando calmamente sua bebida. As coisas só se tornaram realmente interessante quando pacificadores adentraram a festa segurando homens acorrentados. Ravenna até se levantou para que pudesse apreciar a cena peculiar. Uma mulher até então desconhecida se apossou da atenção de todos presente; Ravenna não saberia dizer quem era, nunca havia visto na vida, mas se fora permitida subir ao palco dos Beowulf, sem dúvida deveria fazer parte do grupo deles. Traição, era o assunto. Os prisioneiros foram chicoteados pelos pacificadores. Traidores. Por que eles eram tão burros? Pessoas da própria capital, tendo tudo a sua mão quando bem entendesse, cogitavam em trair o governo? Merecia é serem jogados no Distrito 12, isso sim era tortura.

Ravenna soltou um risinho, dando um pequeno gole na sua amarga bebida, observando o massacre que ocorria bem diante dos seus olhos. Achou um completo absurdo matarem os traidores. Iria sujar o impecável chão da mansão, oras! A nova idealizadora parecia feliz consigo mesma, enquanto Floyd mantinha uma expressão assustada. Os Capitalistas ficaram horrorizados com tamanha violência diante de seus olhos, e muitos foram imediatamente embora. A festa tinha acabado, então. Ravenna depositou a taça na bandeja de um avox que passava apavorado, pegou mais uma bebida no bar e se retirou do local.


⊱ wearing this | mask this | with Ann | baile ⊰


if i may just take your breath away
I don't mind if there's not much to say. sometimes the silence guides your mind so move to a place so far away. the goosebumps start to raise the minute that my left hand meets your waist and then I watched your face
avatar
Ravenna Witt. Stäng
Capital
Capital

Mensagens : 26
Data de inscrição : 25/04/2015
Idade : 20
Localização : Capital, bitch

Ficha Tributo
Emprego: Estilista
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Louise McClane em Ter Jun 09, 2015 3:28 am

Miss Nothing
Corpos esbeltos e movidos a álcool dançavam na pista. Eu já não sentia meus pés,mas não me importava. Olhei para as escadas e notei uma movimentação um tanto quanto estranha, como disse antes, eu não estava me importando com nada. A música parou, uma mulher se posicionou e começou o que eu pensava ser um simples discurso. Como eu estava errada. Seu nome era Alaska Hollerbrook,nova idealizadora,tinha cabelos loiros e sua postura indicava que possuía poder e sabia como usá-lo. Pacificadores adentraram o local e cada um deles trazia prisioneiros.Eram traidores." Eu nunca consegui entender o porquê de se virar contra a Capital. Somos estupidamente ricos e não participamos dos jogos. O que mais eles querem?" O som das chicotadas não demorou para aparecer. Uma após a outra. O "clap" arranhava meus ouvidos. Eu sabia que acordaria no dia seguinte sentindo o resultado desse barulho irritante e infernal. A idealizadora fez um sinal e parou com as chicotadas. Ela retomou a palavra e então os pacificadores prepararam suas armas."Esqueça o que eu disse sobre o som das chicotadas, nada se compara ao som de 20 armas disparando ao mesmo tempo." Os corpos dos traidores caíram em sincronia. Assisti à cena com ódio no olhar. Por causa de traidores nós corríamos perigo,isso me faz lembrar de Lottie."Minha irmã morreu por culpa de estúpidos como esses.Nada nunca me fará aceitar a ideia de traição." O sangue se espalhava pelo chão com rapidez, tive que me segurar para não vomitar. Eu não precisava de um anúncio formal, a festa tinha acabado.Saí rapidamente e sem me despedir.
## words for tags place




Louise McClane
avatar
Louise McClane
Capital
Capital

Mensagens : 3
Data de inscrição : 25/04/2015
Idade : 18
Localização : In Capitol, babe!

Ficha Tributo
Emprego: Atriz
Tésseras: 0
Pontos de Patrocínio:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFICIAL] Baile de Máscaras

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum